QCon San Francisco: os destaques do evento segundo StackSpot

Capa do artigo sobre a QCon 2023, nela está uma imagem de um monumento em frente a estrutura de QCon e ao lado uma foto do estande de StackSpot, com uma bancada e uma televisão ao fundo.
A QCon San Francisco contou com a nossa participação de StackSpot, confira o que fizemos por lá e o que ressaltamos como destaque do evento.

A StackSpot marcou presença na QCon San Francisco, nos Estados Unidos, realizada no início de outubro. O evento é voltado para pessoas desenvolvedoras de software, lideranças técnicas e profissionais seniores de engenharia. 

A conferência proporciona a experiência para encontrar novas soluções, conhecer novidades no quesito de inovação e se inspirar durante palestras com grandes lideranças e profissionais da área.

Nosso time, formado pela Head of Product no Itaú Unibanco, Manuela Leoni; Product Manager na StackSpot, João Batista Cordeiro Neto; e Sales Engineer na StackSpot, Lucas Vicenzotto, teve várias missões, dentre elas conversar sobre estratégias de tecnologia em nosso estande, ministrar palestras para o público e acompanhar o evento como um todo de perto. 

Com base nessa experiência, o time trouxe os principais insights que foram apresentados por lá. Confira!

1. IA generativa: moldando um novo futuro para a prevenção de fraudes

Para Manuela, o dia no QCon SF começou com a palestra de Neha Narkhede, da Oscilar, sobre IA generativa e prevenção de fraudes. Foi realmente inspirador ver uma mulher empreendedora, cofundadora e CEO falando sobre um assunto tão complexo que está presente em nossas vidas.

Narkhede compartilhou que o impacto da IA na tomada de decisões de risco aumenta em 10 vezes a eficiência da equipe de pessoas engenheiras, com a redução drástica do esforço humano e agilidade nas operações de risco reduzidas de semanas para horas.

Um resumo completo da palestra está disponível no InfoQ, confira!

2. Criando uma plataforma de sucesso: aceleração, autonomia e responsabilidade

A segunda palestra acompanhada por Manuela foi ministrada por Smruti Patel, da Apollo Graph, que falou sobre a importância de sabermos o “porquê” de criarmos nossa própria plataforma. Sua recomendação é orientar a criação com base em três conceitos importantes:

  • Northstar
  • Leverage (Alavancar)
  • Coverage (Cobertura)

Dessa forma, cobrimos as necessidades do negócio e criamos valor para ele. Patel também falou sobre a importância da mentalidade de produto e do foco em fazer com que as pessoas usuárias sejam/sintam-se incríveis ao usar nosso produto.

3. Entendendo as plataformas: o que são, porque funcionam, quando usá-las e como criá-las

A terceira palestra foi sobre a compreensão das plataformas com Hazel Weakly. Durante sua apresentação, Hazel compartilhou que, para fazer com que as pessoas usuárias realizem uma ação em nossas plataformas, precisamos ser capazes de motivar, criar um relacionamento e trazer contexto para ajudá-los a tomar a decisão/movimento.

4. Pesquisa generativa: conselhos práticos para a geração aumentada de recuperação (RAG)

Nesta palestra assistida por João Batista, Sam Partee, da Redis, apresentou mais detalhes sobre Retrieval Augmented Generation (RAG) e Large Language Models (LLMs). O interessante foi a abordagem de como LLMs possuem um contexto limitado e que a contextualização é importante para que a LLM possa fornecer respostas mais relevantes e dentro do contexto.

Já quanto a RAG, o uso de um banco de dados de vetores ajuda a fornecer conhecimento externo ao LLM, já que quanto mais relevante for o contexto, melhor será a geração. 

Os benefícios da RAG são: mais economia, mais agilidade, atualizações em tempo real e sem necessidade de usar dados confidenciais para o treinamento. Confira mais detalhes sobre a palestra no site do InfoQ.

5. Use a estratégia de engenharia para reduzir o atrito e melhorar a experiência de devs

Por último, a palestra assistida pelo Lucas Vicenzotto, “Use Engineering Strategy to Reduce Friction and Improve Developer Experience” de Will Larson, mostrou que a estratégia de engenharia é útil no sentido de aumentar a produtividade das pessoas desenvolvedoras e diminuir atritos. 

Para iniciar uma estratégia de engenharia, precisamos partir do diagnóstico, política de orientação e ações coerentes (garantir que a estratégia seja real). No fim, temos o Engstrat, que é o diagnóstico honesto unido a abordagem prática.

Exemplo de cenário: 

  • Você entra em uma empresa em branco;
  • Está criando algo com Python;
  • O novo diretor de tecnologia exige a migração para longe dos monólitos;
  • Dois anos depois, o monólito ainda está lá.

Um diagnóstico desonesto diria que podemos migrar em três meses, mas um diagnóstico honesto sabe que não se trata de verdades universais, e sim uma avaliação baseada na realidade das circunstâncias. Por isso, as abordagens práticas reconhecem as vantagens e desvantagens. 

Uma boa ideia é se não conseguirmos exceder a produtividade do monólito dentro da empresa, migraremos de volta. Nenhum outro produto tem permissão para criar novos serviços até que a prova de conceito seja bem-sucedida.

Diagnóstico:

  • Trabalhamos em uma empresa com forças externas dinâmicas: reguladoras, financeiras, etc.;
  • Fazemos a integração com milhares de instituições externas repletas de humanos e bugs;
  • Temos uma plataforma financeira significativamente complexa (por exemplo, movimentação de dinheiro…).

Abordagem: 

  • Precisamos do orçamento de risco para responder às mudanças externas;
  • Reduzimos o risco tecnológico executando um monólito;
  • Devs investem pesadamente em ferramentas para o monólito de rubi;
  • Concentre-se em fornecer valor a pessoa cliente, não adote novas tecnologias se elas não forem melhorar seu produto;

O objetivo da estratégia é saber como avançar juntos, e não como deixar todo mundo feliz. Algumas pessoas podem discordar das estratégias e sair.

Por exemplo, a Uber conseguiu se expandir mundialmente porque usa seu próprio hardware em todo o mundo, o que ajuda muito no cumprimento das regulamentações. A Lyft não saiu dos EUA, porque seu foco é a nuvem. 

A vida é feita de compensações: reconhecer todas elas leva a decisões melhores. Por isso, concentrar o investimento em ferramentas (“executamos um monólito de rubi”, e não “executamos centenas de tecnologias diferentes”) e controle seu orçamento de inovação são essenciais.

É difícil forçar novas pessoas contratadas a adotar uma estratégia, portanto, é importante ter uma estratégia clara, mesmo que eles não gostem dela. Isso facilita a integração.

Resolvendo desafios

Podemos resolver metade dos problemas de estratégia de engenharia escrevendo quais estão definidas atualmente:

  • É mais fácil obter feedback sobre a estratégia escrita;
  • Poder ver as mudanças na estratégia e os motivos delas é importante para entender a estratégia;
  • Por escrito, é mais fácil responsabilizar as pessoas por segui-la.

Se a sua estratégia não estiver funcionando, isso se deve a um diagnóstico desonesto ou a uma abordagem impraticável.

Vamos praticar uma abordagem de cima para baixo?

  • Diagnóstico: para garantir que haja um alinhamento claro entre você e toda a organização
  • Abordagem: alinhamento com CTO, que precisa aplicar a estratégia.

Passo a passo:

  1. Pegue emprestada a autoridade de cima para baixo do CTO;
  2. Escreva o diagnóstico e, em seguida, valide-o com CTO, colegas, etc. (Escreva um diagnóstico ruim e as pessoas darão muitos comentários úteis);
  3. Esboce abordagens e, em seguida, valide-as com CTO e colegas;
  4. Escreva a estratégia que a pessoa CTO deseja;
  5. Depure o feedback em vez de combatê-lo;
  6. Seja uma pessoa curiosa e confiável; em vez de discutir com o feedback, tente entender as causas principais;
  7. Seja uma pessoa pragmática em vez de dogmática;
  8. Criar adesões é o trabalho (não apenas escrevê-lo);
  9. Enquadre como um experimento de baixo risco (vamos tentar por 3 meses e ver como funciona, não deixe que as pessoas tenham uma resposta de “fazer ou morrer”).

StackSpot na QCon San Francisco

Nós da StackSpot estivemos presentes com força total na QCon San Francisco para contar mais sobre nossos produtos e seu impacto em uma empresa. 

Por isso, nosso time fez duas apresentações no evento, a primeira de Manuela Leoni sobre “How the Largest Latin American Bank Reduced Software Delivery Lead Time on a Team with 16,000 Engineers” e a palestra de João Batista Cordeiro Neto, “Beyond the Hype: The Impact of GenAI on Software Engineering Teams Productivity”

Nesta última, tivemos a oportunidade perfeita para apresentar a nossa nova ferramenta StackSpot AI, disponível dentro da nossa plataforma de desenvolvimento, para o grande público.

Confira o conteúdo da palestra sobre GenAI na engenharia de software na íntegra!

No LinkedIn, compartilhamos mais sobre a atmosfera do evento e nossas outras participações por lá. 

Continue acompanhando os eventos que participamos pelas nossas redes sociais e inscrevendo-se nas nossas newsletters. Por aqui, aproveite para nos contar nos comentários se foi na QCon San Francisco este ano e o que achou do evento!

*Artigo escrito por Manuela Leoni, João Batista Cordeiro Neto e Lucas Vicenzotto.

Consuma inovação e transforme sua empresa

Assine nossa newsletter e fique em dia com as melhores práticas de tecnologia para gerar impacto nos negócios.

Summary

Related posts